Tropa de Elite

Policial persegue estudante Chileno

Hoje em dia convivemos com uma dúvida. Podemos confiar nos policiais? Os homens que em tese deveriam manter a ordem, fazer a lei prevalecer e proteger a população. A resposta do blog é “quase sempre não”. Obviamente existem policiais honestos, qualquer generalização é burra. No entanto, é normal ver na televisão, ouvir no rádio, ler no jornal ou até presenciar casos em que não é isso o que acontece. Se a população decide se levantar e protestar contra as injustiças que passamos, como por exemplo, contra os políticos, a polícia destrói o manifesto, prende diversos integrantes e ainda surra alguns ou vários deles, como por exemplo no protesto dos estudantes chilenos e na manifestação grega citados no post sobre os protestos em Wall Street. Além de a polícia só fazer o que as pessoas com o poder mandam, políticos e os “chefões” da polícia, teoricamente falando, a questão a ser abordada neste caso é “Os políciais não são a população também?”. Sim, eles são. Nós só precisamos fazer com que eles entendam isso, e se juntem a população. Caso isso um dia aconteça, talvez eles ganhem um salário melhor, a população não tenha medo deles, os políticos corruptos sejam presos, os controladores da mídia sejam afastados e o mundo ande pra frente.

Duas observações que devem ser levadas em conta:

1 – Nós somos a lei, já que a lei é algo inventado pelos humanos (nós), no caso a lei brasileira inventada pelos humanos brasileiros;

2 – Sim, nós temos poder contra o estado e a polícia, já que elas também somos nós, já que quem vota somos nós, quem protesta somos nós, quem aceita o que acontece e não faz nada também somos nós;

Abaixo um vídeo com um exemplo de abuso policial e político que nos é passado pelos próprios políticos como um avanço (tema a ser abordado em um post futuro) e uma sugestão de blog com diversas denúncias sobre políticos, policiais, etc.

http://ricardo-gama.blogspot.com/

Anúncios

4 Respostas para “Tropa de Elite

  1. Cara, eu não sou a lei, tenha certeza que eu não fiz a lei. A lei foi feita por uma determinada classe, para seu interesse. Somente. Ela naõ justa, muito menos atende à toda sociedade.

    Outra, a polícia é aparelho repressivo estatal. Sempre será assim. O que nós precisamos não é ‘limpar’ o sistema, mas destruir suas estruturas.

    • Oi vinicius, boa noite. Na verdade a lei é feita por uma determinada classe, que nós (todas as classes) elegemos em voto. Quanto a polícia, a idéia do post é justamente essa, fazer as pessoas pensarem diferente, as que acham a polícia os homens da lei, verem que na verdade eles não são. E as pessoas que já sabem que eles não são, entenderem que na verdade eles são população igual a todos nós, que eles também tem salário baixo, tem um trabalho horroroso, também são obrigados a fazer o que os seus chefes mandam sem discutir e também sofrem com isso. Logo, se talvez nós fizermos eles entederem isso, talvez eles passassem para o lado da população em vez de agir contra ela. Quanto a destruir suas estruturas, não sei bem a que estruturas você se referiu. No entanto, para destruir as estruturas é necessário que tenhamos uma idéia nova e melhor para suprir essas necessidades, e não simplesmente destruí-las por destruir. Obviamente tudo isso é a minha opinião sobre o assunto. Obrigado por ler e conversar sobre o assunto.

      • Ham, na verdade, a lei é o reflexo de uma determinada classe que domina a sociedade, tanto materialmente como intelectualmente. O fato de votarmos em alguém não significa muita coisa, pois o voto nunca será para o inesperado.

        Enquanto às estruturas, são as instituições e as relações sociais. Aquelas que são tidas como naturais e são quase incontestáveis. Na verdade, uma quebra é até inimaginável, pois a linguagem necessária para se imaginar isso não é nem desenvolvida.
        E sim, eu estou falando da quebra do capitalismo.

  2. Vinícius, talvez o resultado dos votos não será inesperado porque não fazemos nada para mudá-lo. Mas e se nós transformassemos esse resultado esperado, no resultado esperado que a população quer? Se a maioria tiver consciência disso e votar nas pessoas certas, esse resultado esperado será para o certo (melhor), e consequentemente o voto será algo bom. Além disso, é complicado pensar em um método para que todos expressem suas vontades e opiniões sem ser por meio de voto. Você teria uma sugestão? Quanto a quebra do capitalismo, penso que diversos pontos estão envolvidos, no entanto, penso o mesmo que o escrito anteriormente, para a quebra do capitalismo, devemos pensar antes em um sistema melhor, para então pensarmos na quebra do sistema atual.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s